segunda-feira, 24 de fevereiro de 2014

Pretend It's Ok - 1ª Temporada - Capitulo 6 - "You're late"

Ouço passos na minha direção, desesperados por encontrar alguém...

Xxx: Hey! – o meu braço era bruscamente apertado, fazendo-me bater contra alguém. 

Eu: Larga-me. – falo bruscamente assim que sinto meu corpo junto no dele rapidamente. Ele era alto, corpo bem definido transparecendo na sua t-shirt e calças largas a cair na sua cintura... eu conhecia-o de algum lugar. Olhei pra cima, procurando por seu rosto, ele sorri com a lingua entre os dentes. Foi como um choque elétrico.

Eu: Tem milhares de gente neste filho da puta de país, e tinhas que ser tu. – ri. - Mas que puta de sorte... – falo irónica e continuando o meu caminho, sem olhar para trás. Sem dúvida que não começamos da melhor forma... mas isso não importava. A sua atitude tinha sido parva, e disso eu não me esqueço. 

Liam: Hey... – ele para atrás de mim sem me tocar. Parei. Sinto a sua respiração quente bater no meu pescoço. – Eu sei que não começamos bem... eu só queria voltar atrás e juro que não te teria provocado... Bell – ele faz uma pausa – podes, por acaso olhar para mim quando falo para ti? – ri sarcástica e olhei-o, voltando-me para trás. 

Eu: Fala então. Fala porque é que fizeste aquilo, e porque é que um dia depois me mandas uma mensagem como se nada tivesse acontecido. Fala, porque eu juro que não entendo. – ele olhava-me calmo, o que me irritava. 

Liam: Eu só quero  reconciliar as coisas... e começar de novo.

Eu: Todo o mundo quer. – viro costas.

Liam: Ouve-me. Por favor.

Abanei a cabeça olhando o chão. Continuei o meu percurso. Ele parecia ter desistido. Acabei por ser vitoriosa. Como sempre. Mas desta vez, eu não me sentia orgulhosa por isso. Foi como se o tivesse magoado. E eu sei o quanto doi. 

Já tinham passado 30 minutos desde que saí de casa. Já lá devia estar, visto que as aulas começam muito cedo aqui. As 7h30 da manhã o dia começava com Filosofia. Nada melhor do que isso pra adormecer. Mas bem. Eu tinha de levar com isso.  Eram agora 7h45min. e eu não fazia ideia de onde estava. Quanto mais caminhava mais perdida me sentia. Fui até o meu telemóvel e escrevi o endereço da escola lá. Aos poucos parecia encontrar a direção certa. Algum tempo depois percebi  ter tomado a direção errada no momento em que parei para conversar com o Liam, se é que posso dizer que estavamos a conversar... 

***

Estava tão confusa agora que cheguei à escola como antes. Não tinha quase ninguém cá fora... de certeza que já todos estavam em aulas. Um rapaz chamava a minha atenção. O seu cabelo estava escondido em um gorro escuro e roupas igualmente escuras. O seu olhar fixo no nada. Gostava de perceber no que é que ele pensava. Caminhei até ele, sentado no chão encostado a uma parede. Eu queria ser educada com ele... ou pelo tentar sê-lo, mas a sua aparência não parecia mostrar simpatia.

Eu: Sabes onde fica a sala de Filosofia?

Ele: Tenho cara de mapa? – ele permanece olhando o nada, mas acaba por olhar-me tempos mais tarde – Hmm não te tinha visto por aqui antes boneca!! – ele fala rindo e fixado em meu corpo. Devo ter soltar um grunhido de nojo, pois ele ri. – Então, o que é que uma menina bonita como tu pretende de mim? Sexo ou droga?

Eu: Desisto – olhei-o com desprezo, suspirando pesadamente – por mais simpática que tente ser há sempre idiotas como tu. Fica bem aí com a tua boa companhia... sozinho. – comecei a caminhar para dentro, mas as palavras saídas de minha boca pareceram acompanhar-me. Eu não devia ter dito aquilo. Afinal, nada parece tornar-me diferente dele...  também prefiro a solidão e consumir, do que levar com as patetices dos outros... não o posso culpar por isso. 

A escola era enorme, o suficiente para eu me perder lá. Nada parecia melhorar desde o começo do dia. Mais tarde vejo um rapaz correr para um rapariga e falar alto...

Ele: Anda caralho!! – ele fala. 

Ela: Ohhh Filosofiaaa caralhoo!! Ahh não, eu não vou. – a única ideia que me passou pela cabeça foi perguntar-lhes.

Eu: Hmm algum de vocês pode dizer-me em que sala é a aula de Filosofia? – pergunto, ele olha pra mim com estranheza, analisando as minhas roupas. 

Ele: Ahh, é no andar de cima primeira porta à esquerda. - ele diz.

Eu: Hm tá. – caminhei em frente, rapidamente voltei-me para trás – obrigada! – ele acena com a cabeça e sai. Realmente eu não estava habituada a ser simpática para as pessoas. 

Finalmente, depois desse tempo todo iria começar a porra da aula. Entro e todos os olhares são postos em mim. Soltei um riso irónico ao ver que apenas um lugar ao fundo da sala me restava... ao pé do Liam. Caminhei até lá, enquanto o professor falava de como iriam organizar-se as aulas durante o ano letivo. Sentei-me e pousei a mochila ao meu lado, retirando um caderno e uma caneta. Ouço alguém rir a meu lado e sussurrar baixinho.

Liam: Estás atrasada.

Eu: Eu também tenho relógio, obrigada pela informação. – ri sarcástica, ele permanece a olhar para mim. – Para de olhar para mim. Não gosto de ser observada. – ouço-o gargalhar e sei que continua a rir porque a sua respiração alterada ainda pode ser ouvida a meu lado. Agora que estava no 12º ano tudo parecia diferente. As mesas em dupla foram trocadas por cadeiras com um pedaço estúpido de madeira preso nelas, que mal permitia colocar o caderno lá. Eram quase 40 alunos lá dentro. A distância a que eu me encontrava do Liam era quase estupidamente inexistente. Para melhorar tudo, a caneta cai ao chão. Baixo-me para apanhá-la, mas parece que o Liam teve a mesma ideia, o que nos fez bater com a cabeça um no outro com força. 

Eu: Foda-se! – levei a mão a minha cabeça. Todos os olhares são postos em mim assim que o professor me avisa para permanecer calada ou pelo menos, para participar de forma educada. Ouve-se o som da campainha. Louvado seja Deus!! 

Arrumei as minhas coisas a pressa e corri para a saída. Sinto um braço roçar no meu, e qual não é o  meu espanto quando vejo Liam.

Liam: Sabes, às vezes acho que tens um poder sobrenatural qualquer... já que, diga-se de passagem, nunca dizes nada de jeito! – ele ri enquanto troça comigo. Acreditem ou não, tudo o que me apetecia fazer era esbofeteá-lo.

Eu: Se não tens nada mais interessante pra dizer, pra próxima opta por ficar calado, idiota!


Continua...
xxPatricia

domingo, 23 de fevereiro de 2014

Pretend It's Ok - 1ª Temporada - Capitulo 5 - Key




Sono. Eu estava com muito sono e pronta para ir dormir. Era quase meia noite e eu nem podia mais com as minhas pernas. Tenho a certeza que se pestanejasse pegava a dormir. Subi as escadas, fui até o meu quarto e deixei acesa apenas a luz que se encontrava acima de minha cama, para dar uma luz mais fraca... aos poucos movimentava-me para retirar as roupas do meu corpo, deixando apenas a lingerie... em passos lentos, caminhei até o armário, para pegar uma camisola larga, até que ouço um bip seguido de vibração. Senti meu coração bater mais depressa... coloquei a camisola sobre meu corpo tapando parte de minhas coxas... peguei o telemóvel e abri a mensagem.


“Hmm pra próxima fecha a cortina baby. Não queremos que os vizinhos te vejam semi-nua. Xx Liam”


Filho da p.... arghh.

Corri imediatamente para fechar as cortinas até que percebo novamente seu corpo no outro lado da rua em seu quarto enquanto sorria para mim. Parvo.


“Até parece que me andas a vigiar. Começo a pensar se não serás um tarado...” 


Olhei até o outro lado, esperando pela sua reação. Ele ri e olha-me.


“Hmm não. Se bem que por ti qualquer rapaz seria né Bell?? Dorme bem, bons sonhos. Xx”


Lentamente o seu corpo afasta-se e as luzes do seu quarto apagam-se. Eu tinha medo, como sempre tive. Mas o perigo sempre me atraía, só que, ele não era perigoso. Mas sim um estúpido, parvo e idiota... talvez até simpático... sei lá... a verdade foi que ele ainda não me mostrou o seu lado bom. Ele deixou-me no fundo, apenas na primeira vez que nos vimos. Provocou-me sensações horríveis, fez-me bater bem fundo e depois, no dia seguinte faz-me duvidar de tudo. Eu já nem sabia o que pensar.

A ideia de ele me ter visto despir-me arrepiava-me, era horrível essa sensação de ser vigiado. Era como se uma camara estivesse a apontar para ti a todo o momento, e apenas irá gravar as piores partes da tua vida. E a verdade, é que eu sinto isso a todo o momento. E como se, nos piores dias, essas gravações viessem até a tua mente pra te deixar pior.

Mas eu aprendi a esquecer, esquecer tudo, esquecer a culpa, a mágoa, a desilusão, a estúpida ilusão que o amor pode criar... só que, eu aprendi a esquecer, mas por muito que tentemos, esquecer é de facto impossível... Vai haver sempre alguma coisa que te vai fazer lembrar, e mesmo que não queiramos... a verdade é que a vida é assim mesmo, e temos de lidar com ela. Mas eu não faço isso, eu nunca esqueço, eu simplesmente me vingo. Vingança. A melhor de todas as drogas. E essa sim é o meu maior vicio.

Fui me deitando. A primeira noite nesta casa que vou dormir numa verdadeira cama, e não no chão...

Eu tentava bloqueá-lo da minha cabeça, mas era como um filme em replay na minha mente... ele, este estranho não me deixava em paz, e eu queria te-lo tão perto de mim. Conhecê-lo. Porque, a imagem que ele havia criado em mim era a de um rapaz quente, provocador, mas tão idiota... Conseguia ser tudo isso, e conseguiu algo ainda maior... bloquear minha mente, e essa, nunca parava por alguém.


***

5h da manhã. Virava o meu corpo de um lado pro outro na cama. Nada parecia ajudar. Todo o sono que eu tinha parecia ter desaparecido. Começava a enlouquecer sempre a rolar na cama e a permanecer acordada. Fechei novamente os olhos, frustrada, na tentativa de dormir. Algo me impedia. Quem? E porquê? Talvez eu saiba, só que o orgulho impede-me de admiti-lo.

7h horas da manhã, ouço meu despertador tocar. Dormi cerca de 3 horas, no máximo. É suposto eu sequer me levantar? Eu não acho. Quer dizer, eu acho... só que vai ser dificil.

Depois de algum esforço levanto-te e vou até a janela do meu quarto, deixando a luz do dia entrar. Hmmm. Escuro. A luz parecia nem querer existir, escondendo-se atrás das nuvens. Sorri. A chuva começava agora a cair.

Fui até a casa de banho me preparar. Nada de mais... não estou com ideia de encontrar ninguém especial. Porque esse alguém especial, deixou de existir assim que as drogas me encontraram.

Peguei numas calças justas pretas e uma camisola preta com capuz. Peguei numas vans e um colar que eu sempre colocava, só que nunca ninguém via. Tinha o formato de uma chave, era pequena e prateada... no dia em que o comprei jurei sempre o usar, era como se me protegesse, e como se meu coração fosse uma porta fechada a espera de ser aberta. Colocava-o sempre debaixo de todas as camisolas, junto ao meu peito.

Desci até a cozinha, peguei uma maçã para comer pelo caminho e saí.

Cobri minha cabeça com o capuz e segui rumo a minha escola. Mas a verdade, é que eu não sabia o caminho. Apenas continuei caminhando, na esperança de descobri-la... 

Os meus passos lentos arrastavam com  eles a chuva que me molhava por completo. Mas eu gostava, então não queria saber. Durante todo o caminho ia ouvindo música... algo que pra mim nunca falhava. Ou música, ou droga. Era certo que as duas juntas eram uma ótima combinação. Ainda me lembro quando havia gente a drogar-se nas festas, era louco! Havia sempre barraca... mas era disso que as pessoas gostavam. E eu gostava. Só que não era da barraca... mas da sensação que a droga pode provocar, de tal modo, que te modifica completamente, uma coisa é certa... toda a droga tem um poder... algumas o da violência, outras, o poder incrível de te excitar... quer esteja num velório, ou num bar, a diferença não é nenhuma.

Ouço passos na minha direção, desesperados por encontrar alguém...

Xxx: Hey! – o meu braço era bruscamente apertado, fazendo-me bater contra alguém.



Continua...

xxPatricia


quinta-feira, 20 de fevereiro de 2014

Pretend It's Ok - 1ª Temporada - Capitulo 4 - Pure entertainment


Acordo no chão do meu quarto, a minha cabeça doía, talvez das lágrimas desnecessárias que passearam toda a noite por meu rosto. Levanto-me lentamente, indo até a casa de banho e lavando a cara. Desci pra cozinha. Procuro por algo no frigorífico. Vazio. Suspirei. 

Subi até o meu quarto novamente à procura de uma roupa pra vestir. Abri o armário, vazio. Aí lembrei-me que nem as minhas roupas eu tinha arrumado nos armários. Procurei pelas roupas espalhadas no chão algo para vestir. Acabei por pegar numas calças pretas, uma camisa cinza escuro e uma casaca igualmente preta. Deixei os meus cabelos soltos.

Segui até o mercado, na tentativa de, pelo menos, ter comida lá em casa. 

***

Estava no meu quarto, à procura de uma forma de arrumar tudo. Coloco tudo no devido lugar, dobrando as roupas e colocando-as calmamente nas gavetas. Dou uma vista de olhos por todo o quarto assim que terminei. Percebi que umas luzes se destacavam por cima da cama, estavam desligadas. Andei pelo quarto, procurando a tomada, quando encontrei, liguei-as. Eram lindas. Um branco a fugir pro rosa, iluminando o quarto todo de uma forma... doce. Na cama permaneciam lençois brancos e algumas almofadas. O chão era quase todo ocupado por um tapete enorme num tom bege. Agora que tudo estava arrumado eu reparava na beleza do quarto. Era um local que quase transmitia calma, local que ainda ontem me parecia depressivo. Eu diria até quase absurdo o quarto ser tão... adorável. Coberto de tons claros, e alguns contrastes com pequenos objectos pretos a decorar o local tornavam-no ainda mais lindo. Sorri quando percebi que toda a casa poderia ainda ser decorada a ficar de forma a que eu gostasse. 

O meu telemóvel toca. Logo apercebo-me que fiquei vários minutos a olhar para o quarto. Vejo uma mensagem. 


“Olha cá pra fora.”


Um som rouco e ligeiramente confuso soou de minha garganta. Quem era? 

Segui até a janela do meu novo quarto, as cortinas estavam abertas. Olho em frente e percebo-me da presença de um corpo musculado do outro lado da rua, no seu quarto penso eu. Liam. Ele olhava-me sorrindo sapeca. 


“Mas como é que arranjaste o meu número?” 


Esperei que ele recebesse a mensagem, olhando-o curiosa. Percebo-o pegar algo que eu julguei ser o seu telemóvel. Ouço um bip seguido de uma vibração na minha mão. Olho a tela. 


“Porque és tão curiosa?”


Bufei tentando encontrar calma em algo que eu achei no momento inexistente. Mas como que caralhos ele arranjou o número de meu telemóvel? É algum agente da NSA? 


“Como é que arranjaste o meu número?” 


Respondi impaciente. 


“Vemo-nos amanhã, Bell. Gostei de conversar contigo. Xx”


Então ele desaparece da janela apenas me deixando com visão da cortina escura de seu quarto. Mas que merda!! E... vemo-nos amanhã? Como é que ele sabe que vamos ver-nos amanhã? Nem eu sei se nos vamos ver amanhã! Ainda à pouco tempo eu estava com ódio dele, e agora... trocamos mensagens? E... porque é que ele estava tão simpático se ainda ontem saiu daqui com raiva de mim?

Várias perguntas... mas nenhuma resposta.  Fechei os olhos frustrada, e dirigi-me até a minha cama, deitando-me nela de costas e dobrando os meus joelhos de modo a ficarem elevados e olhando o ecrã do meu telemóvel. Fiquei a pensar durante algum tempo, até que depois lembrei-me de guardar o número dele, caso mais mensagens apareçam. Hmm como era o apelido dele mesmo? Hmmm... Payne. Acho que vou guardar como Payno...

Coloquei o telemóvel na cabaceira e segui até ao andar inferior da casa. 

Fui até ao frigorífico e o abro, tentando procurar algo pra comer. Depois de algum tempo voltei a fechá-lo... não encontrei nada no momento que me fizesse realmente tirar a fome. Peguei numa maçã  e segui até a sala. Assim que acabo de me sentar no sofá ouço um barulho lá de cima. Uma nova mensagem. Porra. O caralho do rapaz não vai parar com esta merda? Depois da horrível noite que tive, tudo o que eu menos queria era falar com ele, ou sequer vê-lo... mas mesmo assim a curiosidade corroía-me por dentro... eu não queria... mas sem querer, eu queria falar com ele! E isso... era a pior sensação de sempre.

Levantei-me lentamente. Fui subindo as escadas enquanto o meu corpo e a minha mente pareciam me impedir de caminhar. Assim que chego até o meu quarto pego no telemóvel em cima da cabeceira, exatamente onde eu o deixei. Uma nova mensagem? Não. Talvez seja apenas eu a enlouquecer... 

Estava a sair de lá quando me lembro que amanhã vai ser o meu primeiro dia de aulas, na nova escola. Outra vez. Sabes que mais? Apesar de tudo isto... acho que já começo a levar isto na brincadeira. Tem pessoas que se assustam com a minha aparência... sim. Se é estranho? Não. Eu não me considero uma pessoa muito contactável... mas de uma coisa eu tenho a certeza... elas também nunca tentaram contactar comigo.

Eram apenas 16h da tarde... e eu não tinha nada pra fazer... sentia uma sensação comum em meu corpo. Fraqueza. Eu precisava de me alimentar. Mas não da mesma forma que havia feito antes. Inclinei a minha cabeça para trás, tentando respirar fundo... hmm eu precisava disso. Eu sabia. E, por pura insignificância, eu limitava-me a aceitá-lo, porque eu sabia, que desta forma eu podia voltar a respirar da maneira que eu gosto, o meu coração bateria a velocidade que eu gosto, e a adrenalina apoderar-se-ia de meu corpo. Tal como eu gosto. Eu posso parar. Mas não tenho coragem, nem força para fazê-lo. 

Subi até o meu quarto e abri uma das malas. Nela, tinha guardado a peça mais importante do puzzle que é a minha vida... onde as peças se baralhavam a todo o momento. Numa bolsinha lá no fundo, estava ela. Puxei a manga de meu braço para trás e apertei um fio forte em volta dele. Procurei uma veia e injetei. Era como um orgasmo, só que... mais duradouro. É nestes momentos que o meu mundo se transforma em um totalmente diferente.. muito mais prazeroso, e divertido. Porque depois de esses anos, já se tornara numa diversão. Puro entretenimento. 



Continua...

xxPatricia


Atividade Paranormal - 4ª Temporada - Capitulo 10 - "Não sei o que sentir"

Zayn: Hey escuta ... Você não é um jogo para mim!!
Eu: Esquece ...
Zayn: Espera - ele me puxou para trás -Você não imagine o quanto eu fiquei feliz por te voltar a ver!! ... Você voltou mesmo pelo Alex??
Eu: Está vendo?! Você só está jogando, JOGANDO COMIGO!!
Zayn: Não, eu estou sendo verdadeiro, pela primeira vez!! Eu nunca olhei para nenhuma garota desse jeito, eu nunca senti falta de alguém assim, eu nunca passei uma noite em claro só porque não conseguia tirar uma garota de minha mente n-nem ... mesmo a Lice me fez sentir isso!!! VOCÊ CONSEGUE SER TÃO IDIOTA QUE NÃO VÊ ISSO!! SIM, eu odeio te ter longe, odeio que você não brigue comigo, odeio pensar que te posso perder um dia ... E .. e depois você apenas chega passado 2 MESES e me joga na cara que voltou pelo Alex. Poxaa ... - ele faz uma pausa - Abre o jogo s/n!! Porque você fica a todo momento me irritando?!! - Nossaa ele parecia um furacão falando tudo ali na minha cara e eu apenas o ouvia, perplexa!
Eu: E-eu ... AMO VOCÊ!! EU ODEIO AMAR MAS EU AMO!! E...- suspirei - eu tento me mentalizar que esse amor não existe mas qual é?!! Não passa da verdade  ... Me olho todos os dias no espelho e sabe como me sinto?? Perdida ... desamparada, eu não arranjo um jeito de me tornar diferente! ... é que ... eu nem sei bem o que estou sentido!! Se é ódio, saudade, amor ... Eu sempre sinto um aperto insuportavel em meu peito, tenho medo de acreditar em você, de me aproximar porque sei que depois vou sentir sua falta! Nunca me quis iludir mas foi o que fiz, porque sempre me magoo com você todos os momentos em que me faz sofrer ou me deixa sozinha. Zayn, eu não acreditava no amor a ...até você aparecer!! Fico feliz por ser apenas eu que estou sofrendo com isso e seu sorriso se mantém vivo ao contrário do meu ... Fico feliz em te ver bem m-mas eu nãoconsigo seguir em frente da mesma maneira, o passado significa mais para mim que o futuro ... - já haviam lágrimas fugindo de meus olhos e cairem sobre meu rosto, peguei a mão dele a juntando á minha e a as guiei até seu rosto o tocando. - Toma cuidado porque o mundo gira e um dia você pode ficar desse lado, e acredita que deixa cicatrizes em você mesmo que não dão para esconder! - sua respiração era  pesada, ele apenas me escutava estático sem se mexer ou dizer qualquer palavra, sua mão junto da minha suava e seu coração batia forte dando para perceber seus batimentos no peito.
Zayn: Eu .. - sua voz parecia ter desaparecido, ele apenas tentou tomar mais ar.
Eu: Desculpa... Desculpa mas é o que eu sinto e eu precisava de te falar. - ele abriu a boca para falar algo mas acabou não falando nada e apenas repirou fundo mais uma vez ...  Era óbvio que ele não sentia nada mais que amizade por mim! Eu apenas queria fugir dali, eu me declarei e ele nem conseguiu me falar uma palavra poxa! Corri dali e ele nem me tentou prender (...)

 


Zayn P.O.V.
O que eu fiz?? ... Ohh merda porque eu não reagi???!! O que se passa comigo??  Eu estava sentindo o quê por ela? ... Queria esquece-la tão fácil como me apego a ela, queria ter ela sempre perto quanto a afasto ...Eu não consigo nem olhá-la sem querer a beijar, não consigo nem falar uma palavra quando ela me fala o que sente, meu ar parece desaparecer, eu não a consigo tocar sem querer tê-la para sempre ali, EU NÃO SEI VIVER SEM ELA!!! Mas eu também não sei o que sentir! ... Minha mente, ohh nossa, minha mente nem conseguia pensar direito, parecia que tinha tudo se misturando lá dentro, as palavras dela, o beijo, o alcool, ...
Harry: Heyy - ele apareceu me tirando do transe - Você num corredor uiii andou comendo garota ahah!!
Zayn: Vai pô caralho!!
Harry: Estava brincando cara!! Nossa o que houve que te deixou desse jeito?!!
Zayn; Nada ... eu preciso de apanhar ar!
Harry: Zayn!! ... Tudo bem??
Zayn: Eu ... eu apenas tenho que pensar! - respondi indo embora (...)
Havia uma sensação estranho tomando conta do meu corpo, meu coração batia de uma forma desacelerada e eu suava frio. Se ela me ama porque ... porque me baralha desse jeito, porquê todo esse jogo?? E porque ela não me procurou durante esses meses? ... Eu confesso que essa é mesmo a primeira vez que eu me sinto desse jeito! O facto de termos tido uma amizade depois o namoro, todo esse ano no colégio, o filho ... haviam mil e uma coisas nos ligando! Me odiava a mim mesmo por não a ter calado com um beijo naquele momento em que ela disse que me amava, eu devia ter-lhe mostrado que sinto o mesmo ... ou não ... CARALHO ESSE NÃO É O ZAYN!! Eu não sou indeciso eu tenho certeza de minhas escolhas, mas ela ... ela era diferente de tudo o resto! Entrei em casa bruscamente jogando as chaves do carro para cima da mesa de entrada ... Perrie??
Perrie: Oi - ela falou de um jeito carinhoso ... o que ela fazia ali?? Não nos falavamos fazia já muito tempo, o que ela queria agora??
Zayn: Hey! - disse frio. - O que você faz aqui?? - ela ignorou minha pergunta.
Perrie: Como você tem andando?
Zayn: Legal - comecei subindo as escadas e senti seus passos vindo atrás de mim e me voltei para trás a encarando já do meio das escadas.
Perrie: Posso subir com você pra falar??
Zayn: Se lembrou que eu existo só agora foi?? Olha Perrie, só ... sai daqui ... - falei fraco, ela me olhou por segundos e subiu as escadas depressa e juntou nossos lábios, minha mão pousou de leve sobre sua cintura e ... Não ... a afastei. - Não volta a fazer isso! Precisei tanto de você esses últimos tempos e cadê você?? Não estava pois não?!!
Perrie: Mas Zayn...
Zayn: SAI DA MINHA CASA PERRIE!! - gritei e voltei costas subindo até meu quarto e batendo a porta com força - Ahhh Deus me ajude! - suspirei me deitando sobre a cama.

S/n P.O.V.
Entrei em casa rapidamente e bati a porta me jogando contra ela.
GIF DAQUELES DE BATER CONTRA A PORTA E CHORAR
Pai: S/n estava preocupado com você filha ... O que aconteceu meu amor?? - ele perguntou preocupado se aproximando de mim.
Eu: Eu tô bem - limpei minhas lágrimas e me levantei do chão.
Pai: A Magie estava preocupada com você meu amor!! - pfff e ela que não viesse ali parar!! Mas será que aquela mulher não pode simplesmente desaparecer de minha vida poxa! Revirei os olhos em branco e voltei costas - S/n!!
Eu: O QUE FOI?? ... Fodasse! - falei irritada. Não bastava o que se tinha passado com o Zayn porra!
Pai: Ela se preocupa consigo! E é SUA mãe!!
Eu: Aahah isso foi uma gracinha certo?!! - falei sorrindo falso e ele me olhou sério - Minha mãe morreu, ela não passa de uma vadia tentando roubar seu dinheiro!!
Pai: Ela agora vive nessa casa e é da familia por isso exijo que a respeite! Ela apenas quer ter sua confiança ... tenta pelo menos entender o lado dela nesta história!
Eu: Eu não preciso de entender nada!! Minha opiniao sobre SUA mulher não vai mudar para mim!! E eu já falei que se ela não sair dessa casa um dia você vai acabar me vendo a mim sair desse lugar!
Pai: Você era tão doce ... o que te tornou assim??
Eu: Morreu quando ... - engoli seco e segurei as lágrimas - Sabe qual é o problema??!! É que todo o mundo espera que eu continue a mesma, e aí quando eu erro esstão sempre prontos para apontar o dedo ... Mas a verdade é que nem tentam me perceber!
Pai: Isso é talvez porque você esconde seus verdadeiros sentimentos de todo o mundo!!
Eu: NÃO, eu apenas não tenho é ninguém que verdadeiramente me perceba ou se preocupe comigo!! Então sabe o que eu faço ... Mando foder toda essa gente! - acabei de falar e voltei costas ignorando os gritos de meu pai que me chamou á atençao. Abri a porta de meu quarto e bati a porta me jogando para cima da cama - AHHHHH!!

Zayn P.O.V.
Já fazia quase manhã. Eu ... eu era Zayn Malik, podia ter quanto eu quisesse mas, mas FODASSE!! Eu já nem sei o que falo, o que penso caralho!! Estavaa ali deitado olhando o teto, ou seja, o nada, apenas um pedaço de tinta branca.... Ela é mesmo tão linda, aquele sorriso, ohhh deus que perfeito ... Grrr porque eu estava pensando nela caralho!! Ouvi alguém bater á porta pouco tempo depois e vi a porta abrir lentamente.
Patricia: Posso?? - ela perguntou sorrindo e eu assenti. - Eu sei que você não está bem, então pensei que quisesse falar um pouquinho! - ela falou fofo se sentando junto de mim na cama. -voltou vendo a s/n!! ... Que falar?...
Eu: Ela me irrita!! - falei dando um sorriso bobo.
Patricia: Ela chama sua atençao!! - ela sorri de volta.
Eu: Eu não sei ... não dá nem para explicar Patricia!!
Patricia: Mas o que você sente afinal??
Eu: Sei lá, é uma sensação estranha, sinto falta dela a todo o momento!! ... o Alex me falou que isso podia ser apenas saudade de ... você sabe porra ahah fazer aquilo!! Mas hoje quando eu vi ela, eu senti que não, não era isso, eu sentia era falta dela mesmo!
Patricia: Hmm Zazza posso fazer uma pergunta para você e promete ser sincero?? - assenti - Isso é estranho mass... o que houve entre vocês esses últimos tempos que a gente teve junta á dois meses atras?? - comecei rindo...
Eu: Eu e ela. ... nós tinhamos, uma amizade colorida, acho que posso chamar disso ah!
Patricia: Aiii nao posso ahahha isso é muita safadesa seus idiotas ahha!!! Desculpa mas eu não consigo não rir ahahha!!
Eu: Pára de rir caralho!! Isso é sério!!

 

Continua...

xxAndy

terça-feira, 18 de fevereiro de 2014

Atividade Paranormal - 4ª Temporada - Capitulo 9 - Jogando


S/n P.O.V.


Pai: Filha...
Eu: Eu não quero ouvir... Me deixem em paz, pelo menos hoje!! - sinto o cellular vibrar e recebo uma mensagem: "Acho que devia aparecer aqui no bar hoje!! Sinto sua falta pequena Xx Alex". Sentia meu corpo tenso e minha pele ficar gelada, meu corpo balançou um pouco e eu apoiei minha mão na porta.
Magie: S/n - ela se apressa agarrando meu braço mas eu me solto bruscamente, sentia minha cabeça andar á roda e minha visão um pouco fusca ...
Pai: S/n você está se sentindo bem?? -ele pega meu rosto colocando sua mão em minha bochecha, tentei subir meu rosto para o olhar mas não conseguia, estava ficando fraca, perdendo noção... - S/N!- meu corpo balançou mais uma vez mas dessa vez não arranjei forças para me apoiar e simplesmente senti meu corpo tombar ...
(...) senti alguém dar leves tapas em meu rosto e comecei abrindo os olhos ... eu reconhecia aquele rosto... Patricia... Ma-mas ... minha visão se tornou nitida ... estava deitada numa cama branca, UM HOSPITAL???Patricia: Nossa garota você me deu um grande susto!!
Eu: Obrigado por se preocupar comigo!! -falo dando um sorriso. - Mas como você apareceu aqui?? Alias o que eu faço nesse lugar caralho??
Patricia: Eu não sei!! Eu ia em sua casa e quando sua madrasta abriu a porta pra mim você estava estendida no chão, depois seu pai te trouxe pra aqui e eu decidi ficar com você!!
Eu: Eu ... eu me comecei a sentir zonza e minhas forças a faltarem e depois não lembro mais nada senão acordar aqui! -falei soltando um suspiro no final e tombando minha cabeça para trás no travesseiro.
Patricia: Você ainda ... sabe, toma aquilo??
Eu: Faz algum tempo que eu não pego em nem uma cápsula, talvez fosse meu corpo sentindo falta daquilo ... Mas e quando eu posso ir embora??
Patricia: Supostamente só amanhã que você pode ir embora, isso significa que terá de passar a noite aqui!
Eu: Afff não!! Fodasse que puta de sorte!! Eu apenas tive umas tonturas nada mais porquê fazer esse drama todo?? ... Você pelo menos fica aí comigo me fazendo companhia?!
Patrcia: Não!! - franzi as sobrancelhas a olhando.
Eu: Tá é preciso ter cara de pau para dizer isso sua vadia!!!
Patricia: Cala a boca e me deixa terminar ... Eu não vou ficar aqui mas você também não!! - ela sorri maliciosa.
Eu: No que está pensando??
Patrcia: Sua cura não está em ficar nesse hospital, sua cura está te esperando lá fora!! - ela fala arrancando a agulha que estava presa a meu braço e ligada ao soro. Não sabia de que cura ela estava falando mas com certeza seria muito melhor do que ficar ali, isso era certo, por isso me levantei logo agarrando meu saco pousado em cima de uma das cadeira e tirei aquela blusa branca que sempre nos dão nos hospitais e vesti meu top. Patricia agarrou seu saquinho preto e colocando em suas costas, seguiu até á janela a abrindo, parei segundos a olhando ... ela estava pensando fugir sem ninguém saber?? ... Um leve sorriso estava esboçado em meu rosto, essa sim era minha melhor amiga ahha!! Confesso que já tinha saudade de todas essas nossas loucuras!! - Vai vem!! Ou vai ficar aí me olhando feita parva?? - corri para ela e me sentei na janela tirando uma das minhas pernas para o lado de fora e me sentando.
Eu: Pode pelo menos me falar pra onde a gente vai??
Patricia: Acho que vai ter que confiar em mim ahha!! - ela fala sorrindo e me dá uma tapa no ombro - Vai logo!! ... Nossa noite ainda mal começou!! - ela solta uma gargalhada, abano com a cabeça negativamente e salto. Ela salta logo a seguir a mim e não posso de deixar de reparar em como ela estava vestida!
Eu: Oi!! Você pode me falar pra onde vai vestida desse jeito?? - falo zoando.
Patricia: Ahaha você tem tanta piada!! -diz sorrindo falso - Deixa estar que seu calção mais parece uma cueca tá bom?!- me volto para trás olhando se ele era assim tão curto ... poxaaa eu não queria parecer uma putinha vagabunda, e ainda para mais a essa hora da noite!!- Idiota!!! Eu estava zoando você está perfeita!
(...)


Zayn P.O.V.
Já nem sentia bem meus pés assentes no chão, havia um mundo de gente naquele lugar, o Alex estava completamente bêbado, nunca o vi dançar daquela maneira tão ...tão alegre ahha!! Apenas se conseguia ver garotinhas dançando, já sem qualquer controle sobre si mesmas, alcool, alcool, e mais alcool ... o chão até parecia mesmo vibrar com os pulos de todo o mundo ao som da música que passava e ecoava em minha mente me deixando meio zonzo. A bebida estava já me deixando entrar em outro mundo, deixando minha mente descontrolada, havia uma ardência em minha garganta ... mas não era desconfortável, até que sabia bem!! Á já algum tempo que não me deixava descontrair dessa maneira, acho que precisava mesmo! Umas tantas garotas iam tentando chamar minha atençao ... Aiii nossa que pedaços de pecado eram aqueles?? Vá se controla Zayn ... Isso pode parecer estupidez mas acho que da maneira que eu estava era bem capaz de transar com uma delas se continuassem me tentando seduzir ... eu já não estava em mim mesmo, precisava mesmo de mais um cigarro ... Uma noite não iria fazer mal concerteza! ... OU talvez sim ... ar eu precisava de AR!! Saí cá fora mas logo senti alguém esbarrando contra mim...
Eu: Puta que pariu mas voc... - resmunguei me votando para a pessoa ... OHH DEUS!
XXX: Me desculpa bebe foi sem querer!! -uma rapariga de cabelos castanhos lisos que batiam em seus peitos, uns olhos azuis ... meus olhos apenas estavam fixos em seus lábios carnudos e vermelhos ... - Sério me desculpa eu sou uma tonta nunca presto atenção por onde ando! -ela fala tocando meu braço e se aproximando de mim ... Aii melhor se afastar gata ou eu ... uii o que eu não fazia com você vestida desse jeito!
Eu: Só desculpo com uma condição! - a agarro pela cintura e sinto-a estremecer. - Uma bebida ... e uma dança!!
XXX: Acho que vou aceitar isso ahha!! -entramos para dentro, havia uma multidão na pista de dança, sinto a mão dela agarrar meu braço e me puxar para lá (...) ao final de um tempo me sentia descontrolado. Fodasse quem me mandou vir pra aqui?!! Amanhã sou capa de revista com essa vadia que esbarrou em mim na entrada!
Alex: Ouuu mano, você está ... ahah ... está ... com uma ahaha ... pedrada!!
Eu: Eu ... só me estou ... divertindo ahah!! - digo me apoiando em seu ombro e ambos acabamos caindo pro lado... eu já não me segurava de pé caralho!!

S/n P.O.V.
Eu: Estou cansada, preciso de ar caralho!! Vamos parar ... - falo me sentando no caminho, eu acho que já não sentia minhas pernas mas ela logo agarra meu braço me arrastando pra frente.
Patricia: Nem pensa, você vem comigo e ponto final!! - soltei um suspiro de irritação e a continuei seguindo. Ao final de um tempo chegamos numa festa ... clarooo como eu não adivinhava!! -Chegamos!! Vaii vamos nos divertir!! - ela me puxa para dentro da festa ... UOUU isso estava cheioo!! - AHH PUTA MERDA!!! - ela grita enervada.
Eu: O que houve?? Ou grita porque está doidinha ahha??
Patrcia: Argghh vai te foder!! – ela fala pro ar - ... o Alex está cá!
Eu: O Alex?? - perguntei em um tom acho que estramamente feliz o que a fez revirar os olhos. Acho que ela e o Alex nunca tiveram uma relação diguemos que amigável!! Desviei meu olhar pro meu lado e lá estava ele ... continuava igual!! Faz quase dois meses que não o via por isso corri depressa me abraçando a ele forte e rolando minhas pernas em roda da sua cintura, senti ele inspirar o perfume de meus cabelos e me apertar forte contra si...
Alex: Minha pequena - ele sussurrou em meu ouvido sem me soltar e beijando meus cabelos - Que saudades de te tocar!! -ele fala mas mais que sai como um suspiro e me roda fazendo com que esbarracemos em todo o mundo. - Acho que tem aqui alguém que gostava de te ver!! - ele fala me pousando no chão. - O Zayn ...
Eu: Ahhh porra não me diga que esse otário está aí!! - falo com um sorriso bobo e ele assente apontando para um garoto que estava deitando seu tronco sobre o balcão, vestindo uma calça preta e um casaco preto também ... quanta sensualidade hein?? Vá s/n vocês não se amam, nada disso ... apenas ... é apenas uma amizade diferente! Afff qual amizade!! Isso era ódio, amor caralho, eram sensações que eu nunca antes tinha conhecido, que me deixam louca, que me irritam, que me fazem chorar, sorrir ... é um turbilhão de coisas que não controlo! Segui devagar até ele ...
Zayn: Onde esse filho de puta se meteu?? Eu pedi minha bebida já faz quase meia hora caralho!! ... Me dá já essa aí!! -ele resmunga ... era estranho voltar a ouvir aquele tom rouco de sua voz. Notava-se perfeitamente que ele tinha bebido demais, isso notava-se no jeito como ele estava falando com o garçon ahah tentei conter o riso vendo ele quase nem se segurar de pé ahha, ele se volta pegando a bebida em sua mão e quando seus olhos batem em mim ele se fixa fitando meus olhos. - Você?? - ele pergunta pousando o copo e sorrindo para mim. - O que faz por aqui?? - ele colocou sua mão em minha cintura e me cumprimentou beijando minha bochecha.
Eu: E o que você faz aqui aha?? - ele parou uns minutos em silêncio apenas me olhando de cima a baixo.
Zayn: Você continua igualzinha ... durona, teimosa, gostosa!!
Eu: E você sempre o mesmo idiota né Malik?!!
Zayn: Porque voltou? - sua cara mudou de expressou e sua voz soou agora mais fria, não estava á espera que ele ficasse desse jeito por me voltar a ver! Ambos ficamos me silêncio, o que eu ia responder?? Eu estava ali apenas porque a Patricia me trouxe, eu não vim com intenção de voltar a encontrar o babaca do Zayn ou sequer me cruzar com ele ...pff e afinal qual era a dele?? Eu pensava que nós estavamos bem e não havia stresses entre a gente, mas esse garoto mais parece bipolar!!
Eu: Voltei p. ...para ver o Alex!! -menti. Zayn apenas ficou fixamente me encarando sério e sem soltar qualquer palavra o que me irritava porque eu apenas respondi isso para o provocar!! Havia ali um enorme clima tenso, ele finalmente reagiu levando as mãos ao seu rosto e bagunçando seus cabelos, me voltando a olhar ...
Zayn: Você é incrivel caralho!! TEM A PUTA DA LATA DE ME JOGAR ISSO NA CARA?? Acha que eu sou o quê?? Responde, é porque eu juro que não entendo suas ações!!
Eu: Respondo?? ... Quer que responda o quê?!! Estava á espera que eu chegasse aqui e disse-se que voltei porque tinha saudades suas é?? - falei tentando ser fria.
Zayn: NÃO FODASSE!! Eu apenas queria que você não se armasse em parva!! Por favor você parece uma boba apaixonadinha pelo drogadito do bairro ... quê??!! Mas você acha que eu ia sentir ciumes de você?!!
Eu: Não?? Foi o que pareceu ...
Zayn: Então aprende a me conhecer melhor ... - ele falou passando seu polegar sobre meu lábio inferior e colando seu corpo no meu.
Eu: Me ensina ... - falei o olhando bem fundo em seus olhos cor de mel que estavam mais que próximos dos meus ... Não caia em tentação, não cai ... Zayn pegou minha cintura e me encostou contra uma das portas dum corredor que havia ao lado, ali não havia quase ninguém passando, estava muito escuro por isso mal conseguia ve-lo, apenas senti-lo pressionar meu corpo na porta e seus batimentos contra meu peito!
Zayn: Você é tão idiota ... - ele sussurrou contra meus lábios fazendo sua respiração quente se cruzar com a minha. - Me faz perder noção dos perigos ... - ele falava cada palavra como um sussurro que me arrepiava, seus dedos iam apertando mais minha cintura descoberta - Quer que eu te beije?? -seus lábios quase estavam tocando os meus, abanei negativamente a cabeça. Sua mão subiu agora para meu rosto agarrando meu queixo e deixando nossos narizes se encostarem. - Tem medo ?? - ele perguntava com sua voz sensual ...
Eu: Pára com as perguntas Zayn! - falei baixo e mordendo meu lábio inferior.
Zayn: Eu paro! - ele respondeu e logo colou nossos lábios, seu toque me deixava arrepiada, suas mãos desceram para minhas pernas e deram um impulso para que as entrelaçasse em sua roda. Rolei meus braços á volta de seu pescoço enquanto ele me seguarava em seu colo. Poxa porque cada vez que ele me beija eu tenho que sentir aquela sensação tão estranha em meu estomago, aquela sensação irritante e que eu luto para que desapareça!! "Me faz perder noção dos perigos" ... fazia?? Eu nao sei ... mas a verdade é que meu mundo sem ele parecia tão vazio! ... mas haviam memórias que persistiam em continuar e... e não davam apar apagar dosse de qualquer jeito que fosse!

#Flashback on#
Zayn: ENTÃO ENTERRE BEM PORQUE EU JÁ APAGUEI TUDO SEU QUE HÁ EM MIM!!#Flashback off#


Me afastei dele deixando uma lágrima cair e acho que ele repara.
Zayn: Hey escuta ... Você não é um jogo para mim!!
Eu: Esquece ...
Zayn: Espera - ele me puxou para trás -Você não imagine o quanto eu fiquei feliz por te voltar a ver!! ... Você voltou mesmo pelo Alex??
Eu: Está vendo?! Você só está jogando, JOGANDO COMIGO!!
Zayn: Não, eu estou sendo verdadeiro, pela primeira vez!! Eu nunca olhei para nenhuma garota desse jeito, eu nunca senti falta de alguém assim, eu nunca passei uma noite em claro só porque não conseguia tirar uma garota de minha mente n-nem ... mesmo a Lice me fez sentir isso!!! VOCÊ CONSEGUE SER TÃO IDIOTA QUE NÃO VÊ ISSO!! SIM, eu odeio te ter longe, odeio que você não brigue comigo, odeio pensar que te posso perder um dia ... E .. e depois você apenas chega passado 2 MESES e me joga na cara que voltou pelo Alex. Poxaa ... - ele faz uma pausa - Abre o jogo s/n!! Porque você fica a todo momento me irritando?!! - Nossaa ele parecia um furacão falando tudo ali na minha cara e eu apenas o ouvia, perplexa!
Eu: E-eu ... AMO VOCÊ!! EU ODEIO AMAR MAS EU AMO!! E
...

 

Continua...

xxAndy


domingo, 16 de fevereiro de 2014

Pretend It's Ok - 1ª Temporada - Capitulo 3 - You don't care

XXX: Oi… eu sou o Liam! Liam Payne… prazer!! – - ele olhava-me sorrindo, um sorriso brincalhão cresceu nos meus lábios… mas porque é que estava a sorrir? O que é que ele tinha de diferente? Talvez nada… talvez seja apenas mais um rapaz, intrometido, a vir buscar novas informações pra depois falar pra todo o mundo e me envergonhar, ganhando vantagem sobre si mesmo, como se sentissem mais fortes derrubando os outros… ou até mesmo, querer apenas me usar… olhei-o duvidosa.

Eu: Sim. Eu percebi. Mas agora… o que é que fazes aqui? - perguntei sem qualquer tipo de reação aparente. Era o melhor que tinha a fazer.


Liam: Disseram-me que tinha uma nova vizinha, então eu fui empurrado pra cá pra te cumprimentar!! – sentia os meus músculos mais tensos, fecho os olhos sorrindo ironicamente. Sério que não percebem o quanto isso magoa? Magoa, claro que magoa. O passado pode ter-me tornado uma pessoa silenciosa, mas não insensível. 

Eu: Ainda tens coragem pra dizer isso na minha cara não é? - suspirei, um calafrio percorreu o meu corpo - Como é que alguma vez eu poderia pensar que alguém se importava? Sou ap... - suspirei, não acabei a frase, as palavras saiam como suspiros, arrancados de meus lábios - Vai embora. - falei sério, ele olha-me incrédulo, analisando as minhas expressões - Desculpa, mas vai…

Liam: Desculpa, desculpa, eu só tava a brincar. Eu vim dar um olá!! Só queria saber se… se nos poderíamos conhecer… sei lá… ser amigos? - ele pergunta com medo de minha reação, acabando com um sorriso por fim. 

Eu: Amigos… - sorri, brincando da sua pergunta – sério mesmo que queres ser meu amigo? Olha que não é fácil... – pergunto, olhando-o sorrindo de canto e analisando o seu rosto. 

Liam: Quero! – fiquei apenas olhando-o incrédula. A sua expressão era tão sincera. Os seus olhos brilhavam como diamantes, olhos castanhos, um castanho lindo... Ele fica analisando-me, talvez à espera que eu o mandasse entrar… - Qual é o teu nome mesmo? – ele pergunta, sorri pra ele, enquanto o meu consciente me dizia que isso não ia dar certo.

Eu: S/n… s/n Bell! – ele sorri – Desculpa… entra! – dei espaço para ele entrar, ele aproxima-se, sinto os seus lábios quentes na minha testa… um  arrepio fez questão em me preencher… faz tempo que ninguém me dava carinho… sei lá, era… estranho. Ele volta-se para trás, quando já se encaminhava para entrar na sala… 

Liam: O que foi? – ele pergunta sério, preocupado – o que foi que eu fiz?

Eu: Nada… - fechei a porta e fui ter até ele, enquanto o indicava a entrar e sentar-se no sofá. 

Liam: A casa já está mobilada… - ele falou, para quebrar o silêncio.

Eu: É… já estava mesmo quando eu cheguei… - falei, lembrando que apenas lá tinha chegado há minutos – eu cheguei cá mesmo a pouco… - constatei.

Liam: Eu reparei! Eu vi-te chegar e entrar, então eu decidi vir dar-te as boas-vindas! – ele sorri, como sendo algo normal.

Eu: Costumas ser sempre assim?

Liam: Assim como?

Eu: Sei lá… simpático, sorridente… - perguntei olhando-o curiosamente, sorrindo.

Liam: É, eu acho que sim… e tu?

Eu: Eu o quê? 

Liam: Como é que tu és? – ele ri, brincando da minha distração. 

Eu: Eu sou uma rapariga… normal… ou eu acho - falei olhando o chão e mexendo com a ponta dos meus dedos.

Liam: Como assim?


Eu: Sei lá… - suspirei, levantando-me, à procura de uma forma de contar-lhe, poder confiar em alguém é difícil pra mim… - eu não acho mesmo que queiras ter essa conversa comigo... seria o suficiente para... ter pena sabes?? É um sentimento que eu odeio... pena.

Liam: Hey... eu não estou com pena de ti! Até mesmo porque eu apenas te conheci a poucos minutos atrás!! Porque haveria de ter? Há algum motivo? – ele segura nas minhas mãos trémulas, tentando transmitir calma – Apenas fala pra mim! Eu quero... eu quero saber como és... porque não relaxas?! Relaxa e fala comigo, o que aconteceu pra te deixar dessa forma! 

Eu: Nem eu mesma tenho noção disso... ah não... eu sei, e bem! – suspirei, tentando ainda perceber porque deixei tudo isso chegar a esse ponto, porque é que me deixei ir tão abaixo, me deixei ficar tão fria com as pessoas... eu não precisava ter me tornado assim – eu... eu não er... – senti uma gota correr por meu rosto. Ele apercebe-se e move-se rapidamente, chegando mais perto de mim, e limpando meu rosto com o polegar... – Porque és assim? Porque é te importas comigo? Não me conheces! - o meu tom de voz é mais alto, mais do que esperava.

Liam: Eu já falei. Eu quero... te conhecer melhor... – sinto os seus braços envolverem o meu corpo. Arrepio-me, em um movimento automatico, afastei os seus braços dos meus, descolando  os nossos corpos. Ele olhava-me de forma estranha... claro, eu já devia saber.

Eu: Deixa pra lá... nunca vais perceber! – vou em direção a cozinha, em passo rápido. Sentia o meu coração palpitar depressa. Eu nunca falei pra ninguém do que aconteceu comigo quando era mais nova, porque tal como agora, eu sabia que eles iriam ter pena, me olhar de forma diferente, e me tratar como se fosse um pobrezinha... e sabem que mais? Para isso eu prefiro até mesmo ficar sozinha.

Liam: Hey! – ouvi-o falar do outro lado – espera!! Porque estás a agir assim?? – percebi a  sua voz diferente, o seu olhar diferente... – O que se passa contigo?? És tão diferente dos outros... - resmunga enquanto se mantêm quieto  à porta.

Eu: Eu sabia.. Mesmo ainda sem saber... já estás com aquele sentimento! De pena! Ou se calhar de estranheza... Porque é que as pessoas agem assim? É automático isso? Eu só gostava de perceber... como é que as pessoas conseguem ser  tão idiotas? Não percebem que isso magoa? É assim tão difícil?! – sentia meu sangue ferver, a minha cabeça arder – É liam?

Liam: Esquece... eu acho que não valeu a pena cá vir! – ele dirige-se para a porta – Tem um bom dia! – ouvi a porta bater com força, encosto-me à bancada. Como é que eu ainda fui idiota ao ponto de pensar que ele seria diferente? Claro que não. Quer dizer, é a primeira vez que o vejo e já o odeio. O certo seria ele estar demasiado desesperado pra foder com alguém hoje e não teve, então a escolha mais fácil? Ah sim, olha a minha nova vizinha! 

Subo até meu quarto, sentia-me miserável, cada vez mais sozinha, e isso estava de certo ponto levando-me à loucura. Pontapiei a minha mala de roupas, deixando várias delas espalhadas pelo chão... sentia as minhas pernas ficarem fracas, deixo o meu corpo escorregar até ao chão... sinto um brilho bater em meus olhos. Olhei para o chão... então ela lá estava, espalhada pelo chão, como que chamando por mim.

***

Vejo o sangue escorrer por meus pulsos, caindo no chão, pressionei a lamina novamente contra eles, fazendo outro corte... tombo a cabeça pra trás, descansando o meu corpo e aproveitando a sensação que me invadia a todo o momento... vários calafrios percorriam meu corpo, seguidos de palpitações fortes em meu peito. Já fazia 1 semana que eu não me mutilava... então chega este idiota, e faz com que todo meu esforço seja em vão. Não valeu a pena. Porque eu haverei de parar com isso? Faz diferença pra alguém? Não! Então, mais vale deixar eu me acabar aos poucos... pelo menos desta forma... eu sinto-me bem... ou pelo menos... parte da mágoa vai embora... o frio apoderava-se de meu corpo, sentia-me congelada, sem capacidade pra me movimentar sequer pra ir até meu quarto.


Continua...

xxPatricia

Pretend It's Ok - 1ª Temporada - Capitulo 2 - Weakness

 

Cheguei à porta da minha casa. Não era muito grande, nem pequena. Era confortante, o único sítio onde eu podia estar sem ser julgada. Coloquei a chave na porta e rodei a maçaneta. Entrei. O silêncio predominava, apenas as gotas de chuva podiam ser ouvidas. Pode parecer estranho, mas eu adoro chuva. Ouvir as gotas caírem no chão, algumas arrastadas pelo vento. Eu tive de me habituar a ela, mesmo não querendo…

Subi até meu quarto e deitei-me sobre a cama, pensando em tudo na minha vida… vida de merda que eu levo. Peguei no meu telemóvel e fiquei a ouvir musica aleatória… coloquei o volume no máximo. Fiquei a cantar baixinho durante algum tempo até que ouço um som, ao longe. Ignorei. Mais tarde ouço a campainha tocar freneticamente. Bufo, retiro os fones, desço as escadas apressada, chego perto da porta e a abro. Carteiro. Uma brisa entra, provocando-me um leve calafrio.

Ele: É a menina a Bell?

Eu: Sou sim…- falei.

Ele: Tem aqui uma carta pra você - peguei nela sem qualquer animo. - Importa-se de assinar aqui? - ele estendeu-me pra mão uma esferográfica e o papel, assinei e entreguei-lho. Olhei novamente para a porta de minha casa e vejo ele já a sair em direção a sua mota, totalmente encharcado. Fechei a mesma, abri o pequeno envelope nas minhas mãos. Rasguei-o. University of London. Que nome parvo. Ahh sim, por míseros seguros quase me esqueci de uma, de várias das minhas expulsões. Desta vez é pra uma universidade a… 400km de distancia?? Lembrei-me então das palavras por quem essa expulsão fora causada “será um pouco longe daqui.” Soltei um riso abafado. Você considera isto um pouco longe?! 

Subi as escadas e fui novamente para o meu quarto, olhei para a carta que estava nas minhas mãos e voltei a lê-la. Várias informações… uma delas chamou-me a atenção… os novos alunos tinham que usar uniformes de forma a se distinguirem dos outros. Nem pensar que alguma vez eu vou usar fatiotas de princezinhas. Coloquei tudo na cabeceira ao lado da minha cama. Vi as horas. 20h30min. Fui até a cozinha e preparei uma sandes, comi tudo rápido, bebi um golo de sumo e subi pro meu quarto. Dentro de dois dias já cá não estarei. Peguei numa mala vazia e coloquei em cima da cama. Abri-a e comecei a colocar as minhas roupas e materiais necessários pra viajem. Às 22h já tinha tudo pronto. Deitei-me. 

7h da manhã. Tudo silencioso. Como sempre. O meu despertador tinha acabado de tocar. Fui até uma das malas e peguei numa roupa simples. Camisola larga, um pouco comprida, escura, umas calças pretas rotas e umas vans pretas também. Prendi o meu cabelo em um coque mal feito e desci. Peguei nas minhas malas e coloquei-as perto da porta de entrada. Dei mais uma volta pela casa. Onde eu passei estes longos anos, meses, de sofrimento… sozinha. Os meus dedos deslizavam pelas paredes, enquanto recordava as minhas fraquezas, que tive de enfrentar… aqui. Foi aqui onde tudo começou, onde eu me surpreendia a mim própria, com as minhas capacidades de estupidez.... Sim, toda a minha vida não passou de uma estupidez, as pessoas diziam que podia contar com elas, mas, quando eu mais precisei, não tinha ninguém… ninguém… então eu tive de procurar felicidade, da minha maneira… não que eu tenha encontrado, mas agora eu sinto-me mais forte… há já 1 semana que eu não me corto. Isso é bom… eu acho. Mas eu sei que a qualquer momento tudo vai voltar, eu vou voltar a cometer os mesmos erros, por razões idiotas e sem noção… e então eu vou voltar a ser a mesma fraca e inútil que há anos atrás resolveu fazer uma mudança na sua vida. E nem eu sabia que iria ser assim tão radical. Eu não sou uma pessoa fria, eu apenas não demonstro meus sentimentos. Porque, já não encontro outra maneira de me expressar a não ser com ajuda… de laminas, drogas... E tudo isso não passa de um erro, impossível de corrigir. 

Uma lágrima escorreu por meu rosto, impedi que outras aparecessem… desci as escadas, fui até a janela e percebi que o táxi já tinha chegado. Abri a porta, peguei as malas. Um senhor já de idade, por volta de 55 anos encaminhava-se até mim. Uma das minhas malas era retirada da minha mão.

Eu: Não. Eu levo, não preciso de ajuda. - suspirei, ele olha-me com os olhos arregalados, volta a caminhar até ao carro que nos esperava e entra. Fiz o mesmo, coloquei as malas na parte de trás do carro e assim que entro ele começa a andar. Encostei a minha cabeça na janela do mesmo… sinto meus olhos cansados… 

***

Depois de umas longas 4 horas chegamos. 

Tinha as minhas pernas dormentes, a minha cabeça andava a roda.

Fui até uma agência imobiliária e depois de algum tempo havia escolhido minha casa, bem rapidinho... Ficava numa rua com poucas casas, parecia uma rua chique, para aqueles riquinhos… nem foi tão cara assim... bem, na realidade até foi baratinha, eu não teria dinheiro pra comprar ou sequer alugar ela já que... eu não tenho emprego. No momento seguinte em que lá passei me arrependi. A casa era bonitinha, mas grande demasiado para uma pessoa só, e demasiado morta… não tão “morta” assim, eu gosto de preto… cores escuras… não branco… as paredes eram totalmente brancas… e eu não gostava disso, fazia-me lembrar hospitais, horríveis hospitais e momentos que neles passei. Vou ter tempo suficiente para me habituar a isso aqui, ou até mesmo personalizar do meu gosto… ou não… pouso as minhas malas ao pé da porta, e olho em redor… ouço a campainha tocar. Continuei caminhando até ao segundo andar da casa… ouço novamente a campainha tocar novamente, freneticamente… 

Eu: Mas que caralho! Já vai! - gritei das escadas. Cheguei à porta e abri-a rapidamente, suspirei, irritada. - O que foi?? Morreu alguém? - perguntei impaciente, olho para a figura alta que se encontrava em frente a mim… reparo no seu corpo coberto, mas onde seus músculos podiam transparecer, calças largas, caídas na sua cintura e camisola comprida e mais apertada. Depois de alguns segundos reparei na figura de idiota que estava a fazer, babando do corpo dele, ele sorri abobalhado.

Ele: Hey… eu sou o Liam! Liam Payne… prazer!

Continua...

xxPatricia

quinta-feira, 13 de fevereiro de 2014

Pretend It's Ok - 1ª Temporada - Capitulo 1 - Alone

Oiii!! Eu sei que ultimamente não temos aparecido muito por aqui, e não temos contribuído com algum imagine ou fanfic... mas, esta semana não deu mesmo... foram dias pra estudar e estudar!! Não deu :c mas bem, pra compensar, hoje vou postar o novo capítulo da nova fic do blog!! Espero que gostem, embora ela seja um pouco diferente das outras é bem legal de qualquer jeito!! Bem, só tem um aviso que eu queria que tentassem comprender: bem, como vocês sabem, ou talvez não, nós não somos do brasil na verdade, então o nosso português é um pouco diferente do que vocês estão habituadas!! Durante todo esse tempo tentamos fazer com que percebessem o que escrevemos utilizando palavras e expressões daí do Brasil, mas como nós somos daqui (de Portugal) torna-se um pouco difícil pra nós por vezes!! Então o que eu vim avisar agora é que agora as fics vão ser escritas da mesma forma, mas com mais expressões e formas de escrever e falar de Portugal tá? Se não perceberem alguma palavra ou assim, perguntem!! Essa fic vai começar com o portugues de Portugal já, tá bom?? Desculpem se não gostarem de alguma coisa... Se prefirem do outro jeito, avisem e eu mudo...

Bjss :3

Trailer (pra quem ainda não viu):

aqui

ou

aqui


Desde a alguns anos atrás... algo que eu daria como séculos, os meus pais e o meu irmão morreram. Eu tinha 14 anos. E então desde aí vivo... não, “eu não vivo, eu apenas tento viver... sozinha.” 

Tudo aconteceu quando os meus pais eram ainda vivos e compraram um bilhete pra todos, pra mim, pra minha mãe, pro meu pai e pro meu irmão, Adam… 

Adam tinha na altura 18 anos, era o meu ídolo… ele costumava ensinar-me a andar de skate. Divertíamo-nos muito juntos. O bilhete era pra ir passar férias em Londres… mas o que deveria correr bem, correu mal... tudo no avião estava a postos, até descobrirem que tinha sido danificado, propositadamente. Alguém queria a morte, a morte de algum dos passageiros. A ideia de saber que poderiam querer mal aos meus pais deixava-me chocada... ou até a mim… Os problemas no motor começavam a ficar evidentes, e ninguém, nem o próprio piloto conseguiria arranjar. Disseram que era demasiado arriscado. Foi então que eu percebi… eu estava pronta para morrer. Parece estúpido, mas a verdade é que a ideia de morrer arrepiava-me, sempre odiei mortes.

Aquelas 2 horas de voo foram as piores da minha vida… todo o mundo gritava, os bebés choravam, o que me deixava mais nervosa, e a minha família já não estava junta… apenas eu e o meu irmão. O avião começou a descer, não tinham como pará-lo, estavam a fazer os possíveis e os impossíveis, mas não havia volta a dar… as pessoas estavam desesperadas, foi então que, quando o avião começou a descer e estava a pouca distância do solo, alguém que estaria em pânico, abriu a porta principal e assim que um corpo foi sugado... todos os outros também. Foi o pesadelo total. As lágrimas de desespero tomaram conta de mim no momento. Várias delas morreram, a porta aberta puxava as pessoas que acabavam por ser sugadas e caíndo lá em baixo. A uma certa altura eu estava sozinha, sem a minha família, apenas com alguns passageiros. O desespero tomava conta do meu corpo, pensei várias vezes em saltar também, pelo menos não sofreria mais, mas a uma certa hora o avião já tinha caído, levando corpos atrás. Eu não teria mais oportunidade… saí… as minhas pernas estavam bambas, várias cicatrizes tomavam conta de meu corpo, olhei e tinha um vidro espetado em meu braço… Tive de ir imediatamente para o hospital. Fiquei em tratamento durante umas semanas… Ainda hoje algumas dessas cicatrizes permanecem. 

A partir desse dia a minha vida mudou radicalmente…

Já não sou mais a mesma… divertida, sempre alegre e inocente. Fiquei abalada, não tenho familiares que me queiram. É horrível saber que ninguém se importa connosco, o auto-estima começa a desaparecer aos poucos sabem?! E já não tem nada que ajude, fazendo assim com que desapareça. Durante todos estes anos fiquei por minha conta, já arranjei vários problemas com a polícia, já que sempre que perguntam pelos meus familiares eu arranjava uma desculpa diferente. 

Então tornei-me independente, não precisando de ninguém pra me ajudar nem no mais pequeno trabalho, sempre vivi a mudar de escola, porque me transferiam, porque… você sabem… eu não era uma aluna exemplar. E continuo a não ser. Que se fodam os professores, que se foda todo o mundo... não vão ser eles que me vão proporcionar algum tipo felicidade. 

Eu sempre fui sozinha, sempre me colocavam de parte, eu era a rapariga estranha… mas, o que eles podem dizer?! Eles não me conhecem… 

A partir dos meus 15 anos eu comecei a consumir droga, algo que eu sempre rejeitei. Mas um dia eu descobri que aquilo era tudo o que eu sempre precisei. Tudo no momento parava, meu coração parava. Era uma sensação inexplicável! Era como um braço forte que me segurava, algo que me reconfortava… mesmo não fazendo sentido, eu amava. Aquela sensação. Sem ela, eu já não estaria viva. 

Hoje, com 17 anos, encontro-me em um canto qualquer da escola, mais uma vez sozinha, a ouvir uma música qualquer. Alguém toca o meu ombro, subo meu olhar, tentando perceber quem era que me chamava, Sra. Megan. A única pessoa que me percebia. Eu nunca lhe falei muito de mim. Mas algo dizia-me que não faria falta, que ela sempre lá estaria para me ajudar. Sra. Megan é uma funcionária lá da escola, sabes… quem trata de arrumar o lixo que os meninos mimados deitam no chão. Quem trata de se verificar que tudo está em ordem. Na realidade ela é pouco mais velha do que eu… tem 27 anos, não é muito alta, mas é, sem dúvida, maior do que eu.

Sra. Megan: Estão a chamar-te…

Eu já sabia quem era… a diretora. Levantei-me lentamente, tirei o auricular do meu ouvido e guardei o meu telemóvel. Segui até a diretoria, em passos lentos, cabeça baixa, podia ouvir a minha respiração pesada. Bati na porta, entrei e sentei-me em uma cadeira, junto a uma secretária de lá. Ela olhava-me, os seus olhos não apresentavam nenhuma surpresa. Na realidade eu já sabia o motivo. 

Diretora: Já sabe não é?

Eu: Para onde eu serei transferida desta vez?

Diretora: Uma escola, bem conhecida, aqui em Londres. Já tratamos de todos os papeis. Começará suas aulas novamente dentro de dois dias. Aconselho a arranjar nova casa, visto que será um pouco longe daqui – levantei-me, arranjei as minhas roupas, peguei na mochila e coloquei-a no meu ombro direito e segui até saída. 

Saí daquele que eu tratava como inferno, a minha “antiga” escola, pronta para mais uma mudança… de tantas que virão. Começara a chover, os meus passos lentos apenas permitiam que eu ficasse toda encharcada devido às gotas grossas que caiam sobre meu corpo. Pensamentos, vários pensamentos invadiam minha cabeça… “para quê despedidas? Ninguém quer saber de mim… nunca quiseram. Mas, para quê pensar nisso sequer? Vamos apenas fingir que está tudo bem.”

 

 

Continua...

xxPatrícia

 

domingo, 9 de fevereiro de 2014

Atividade Paranormal - 4ª Temporada - Capitulo 8 - V1D4 L0K4

 

 

~2meses depois~

Zayn P.O.V.

Como alguém pode mudar nossa vida desse jeito tão grande?!! ... Durante esses dois meses me sinto completamente o oposto de mim ... Sinto fala da s/n!! Depois de nos tornarmos amigos, daquele jeito estranho ahah, passamos ainda um mês vivendo junto com o resto do pessoal mas entretanto muita coisa foi mudando, eu e os garotos estamos voltando aos concertos, as garotas ainda vem nos ver e sempre vamos em alguma balada junto ... mas a s/n já faz um mês que não estou com ela!! Já fazia uma da manhã e eu não conseguia dormir, me levantei e desci lá baixo e saí fora me sentando junto da piscina. Aquela casa nunca seria como o colégio, tudo o que vivemos esse ano ... era muito mais vazia, apenas lá estavamos nós cinco. Era tão chato isso assim!! Um sorriso rompeu em meus lábios quando lembrava de como eu e a s/n esses últimos tempos nos tínhamos tornado mais próximos, nossa amizade colorida ahah, era tão bom ter ela me irritando a todo o momento, ver seu sorriso bobo e suas briguinhas pela manhã comigo!! - Aiii poxa zayn, no que você está pensando!! - falei pra mim bagunçando meus cabelos e voltando a olhar a água da piscina. - Caralho!! - falei dando um chute num dos banquinhos jogando-o pra dentro de água. Vaii Zayn esquece ela, há tanta garoa sonhando em estar com você e porque você só pensa na irritante e chatinha da s/n?!! Mais parece que está virando um moleque apaixonado!! Que mariquice é essa agora de nem conseguir dormir pensando nela!! A verdade é que eu posso ter quantas vadias eu quiser para transar mas com ela tudo parecia de um jeito tão diferente e ... especial!!! Afff que puta de gayzada, eu NÃO sou assim, Zayn Malik, acordaaaa!!! Me levantei e entrei em casa indo até ao quarto ... sentia-me nervoso ... se acalma vá procura alguma coisa Zayn ... o que você precisa nesse momento ... levei minha mão trémula ao armário e o abri ... Não, eu era forte eu não ia pegar nisso ... Que se foda!! Eu precisava! Arranquei o tabaco dali e fui até á varanda do quarto acendendo um ... o fumo me acalmava, me fazia sentir mais leve!! Eu estava mesmo obcecado por ela caralho!! Eu passo uns tempos com a garota por quem sinto ódio, a amor ... e depois ela não sai mais de minha mente?? Que é isso??! Nem mesmo o tabaco me fazia a esquecer!! ... Fodasse eu olhava o Liam feliz com a Nocas, nem a distância separava eles, depois a Elodie e o Harry sempre estavam juntos nas baladas, se encontravam, a Patrícia e o Louis tinham uma relação perfeita, e eu??? Eu a odiava!! A odiava mas a verdade é que precisava mais que nunca de a ter outra vez comigo!! O que mais custa ainda é ás vezes ver ela passar na Tv, quando há aqueles jantares importantes de empresários e seu pai aparece com ele e sua madrasta. Agora já faz umas semanas que nem mesmo assim a olho ... Peguei mais um cigarro ... ouço meu celular tocar e vou no quarto o tentando encontrar - Ohh puta que pariu onde eu pus essa merda de celular?!! - resmungo baixo remexendo em todo o lugar ... o encontro no meio das minhas roupas.

#Ligação on#

Eu: Tô!!

Alex: E aí cara?? Tudo legal??

Eu: Oii ... o que você quer a essa hora caralho??

Alex: Tá fodendo por acaso para não poder falar??

Eu: Não!! Mas afinal o que você me quer?

Alex: Eu quero pedir um favor pra você ... Tem a casa livre na próxima semana??

Eu: E você quer a casa pra quê?!!

Alex: Fodasse pára com a implicância!! Precisava tratar uns assuntos! ... Zayn ...

Eu: Sim ... Você não vai meter vadias na cama onde eu durmo!!

Alex: Aahaha não tá descansado ... Você andou fumando??

Eu: Não ... quer dizer ... sim ... mas foi só dois cigarros!!

Alex: O que se está passando com você??

Eu: Tou com minha cabeça rebentando caralho precisava de aliviar de algum jeito!

Alex: Vai se foder ... Você está é pensando nela né??

Eu: Ohhh caralho eu não tiro ela da cabeça esses últimos dias!! Preciso de falar com alguém!! - consigo ouvir um gemido vindo do outro lado ... que Cabrão ... - PUTA QUE PARIU, VOCÊ ESTÁ A FODER ENQUANTO FALA AO CELULAR SEU FILHO DA PUTA!!- ele se ri - Tá zoando comigo caralho!! Vai se foder, isso é muito mau cara!!

Alex: Você está ficando louco Malik, acha que eu ia mesmo fazer isso!! Olha eu ... OHH FODASSE ASHLEY!!

Eu: QUE NOJO CARALHO!!! Manda ela dar uma volta porra, não quero ouvir vocês dois transarem deste lado!! Nossa senhora ... que é isso??

Alex: Fodasse me deixa tranquilo ... Esta garota me deixa louco cara!! Desde que conheci ela na prisão ... ohh deus, ela é tão gostosa na cama!!

Eu: Guarda isso para você, acha que eu tou afim de saber essas coisas!!

Alex: Bom, me dá meia hora e eu tou aí!! E não atrapalhe minhas fodas com a Ashley outra vez com seus problemas!!

Eu: Acha que eu ia adivinhar?!! E você não me liga enquanto está fazendo ... você sabe!! Eu não preciso de assistir porno por celular tá!! Até já!

Alex: Só vou acabar isto e estou indo, Txau! - ele desliga.

#Ligação off#


Fui na varanda acabar de fumar o cigarro e ouvi uns barulhos, fui até á sala e me debati com uma garota que segurava os saltos em sua mão, vestindo um vestido preto bem justo a seu corpo e apanhava algo do chão virando a bunda para mim ... Hmmm gostosa!!! - Patrícia?? - perguntei confuso quando ela se levantou e me olhou dando um pulo para trás com o susto e levando a mão ao peito.

Patricia: Aff que susto Zayn!! - ela fala e vem até mim me cumprimentando.

Eu: M-mas ... o que você faz a essa hora aqui?? - aii meu deus eu nem acredito que olhei para a namorada do Louis desse jeito ... ahhhh Zayn cala a boca idiota!!

Patricia: É, eu vim com o Louis e acabamos adormecendo a ver o filme e só acordei agora!! Desculpa se te acordei!

Eu: Não, na verdade eu tou mesmo sem sono hoje!!

Patricia: Mas você devia descansar Zayn, sua cara tá horrivel! Vai se cuida!! - ela me dá um beijo na bochecha e sai. Fiquei olhando o nada ... talvez eu devesse ter perguntado para ela como a S/n esta!! Ou nao ... Fodasse!!


#Flasback on

Mas você é a harmonia de toda música que eu canto
E eu não mudaria nada, não mudaria nada

(...)
Zayn: Sua voz é linda! - sorri para Zayn e voltei a encarar a areia.

#Flashback off#


Eu: Mas você é a harmonia de toda música que eu canto
E eu não mudaria nada, não mudaria nada ... - cantarolei baixinho, lembrando a primeira vez que tinha cantado uma música com ela ... - MERDA!! merda. merda. merda ... puta de vida!!! - Saiiiii da minha cabeça!!

XXX: ALGUÉM QUE ABRA A PUTA DA PORTA!! - corro até a porta a abrindo - Finalmente ...

Eu: Ohh seu burro você quer acordar todo mundo é??

Alex: Olha minha cara de preocupado!! - suspiro fundo. O que passou na minha cabeça para chamar o Alex?? O ALEX!!! A verdade é que depois das coisas com o Rayn a gente se tornou até que se pode dizer amigos!! - Credooo que cara é essa, você mais parece que não dorme á horas!!

Eu: E não durmo ... - falei me jogando pra cima do sofá e Alex se sentou na mesa me encarando. - A s/n ...

Alex: Teve novidades dela??

Eu: Não ... mas ela não sai da minha cabeça!!

Alex: Malik tá virando moleque apaixonado??

Eu: Não caralho!! - digo jogando um travasseiro nele. - Porra ... eu não sei ... Tenho saudades dela ...

Alex: Você está louco?? Que é isso agora?!!

Eu: Tou mesmo ficando louco sim!! Epa, preciso de vê-la, sei lá, de estar com ela, alguma coisa ...

Alex: Você sente saudades dela ou de transar com ela??

Eu: Acha?? ... Talvez ...

Alex: Sabe que mais?!! Vai se arrumar que eu te vou levar num lugar!

Eu: Vamos onde são duas da manhã!!

Alex: Vou te levar no Paraíso!! - arqueei a sobrancelha sem o perceber - Poxxa que você é burro!! Vou te levar ao que você precisa ... Mulher!!

Eu: Aff tou sem vontade de ter vadia s...

Alex: Está virando viado??

Eu: Não, só tou sem vontade!!

Alex: Levanta essa bunda dá mas é e se vai arrumar!! A GENTE VAI PRA V1D4 L0K4!!

Harry: V1D4 L0K4 ...

Eu: Te acordamos??

Harry: E você por acaso estava pensando ir curtir a noite e não me acordar seu otário!! - ele fala pegando uma calça e uma camisola que estava pendurada na escada e a vestindo - Bora lá!! - ele me dá sinal a mim e a Alex ... Uma noite pra descontrair não ia ser assim tão mau ...

 

S/n P.O.V

Eu: AHHHH TE ODEIO!!! - falo batendo a porta nervosa .... Cabra de merda ficou com meu pai e ainda quer mandar em mim!!! Putaa do caralho, estou farta disto aqui em casa, esses últimos dois meses desde que voltei para casa tem sido horriveis - Que porra!!! Cabra de merda se pensa que pode mandar em MIM se engana vadia do caralho, eu vou fazer sua vida num inferno!! - falei me olhando no espelho ... eu precisava de sair, de me divertir ... peguei umas roupas do closet e me vesti.


 

Magie: Onde você vai??

Eu: Não é da sua conta!!

Magie: S/n me fala onde você vai ou então nem chega sequer a sair essa porta!!

Eu: O que você quer hein?? - falo me aproximando dela e a encarando nos olhos - Destruir minha vida?!! Destruir minha familia?? Não sei como meu pai algum dia olhou para você, minha mãe era tão melhor!! Acha que algum dia ele te vai amar do mesmo jeito que a amava a ela?? Nunca ... e agora pára de controlar minha vida ou eu acabo saindo desse lugar!

Pai: Você acaba fazendo o quê?? - ele aparece de repente.

Eu: Isso mesmo que você ouviu!! Eu estou ficando farta. farta desse mundo em que todo o mundo me faz viver. Você ainda não percebeu que eu não sou feliz aqui?? Agora não!!! Agora que você colocou essa ... coisa ... tentando ocupar o lugar de minha mãe nessa casa!! Até mesmo você se está afastando de mim ... me está deixando sozinha, cadê seu amor?!! Desapareceu?? Eu sinto sua falta ... Mas assim você vai acabar por me perder um dia!! - minhas lágrimas iam começando a cair.

Pai: Filha ...

Eu: Eu não quero ouvir ... Me deixem em paz pelo menos hoje!! - sinto o celular vibrar e recebo uma mensagem: "Acho que devia aparecer aqui no bar hoje!! Sinto sua falta pequena Xx Alex".

Continua...

xxAndy